TREINAMENTO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE NO CENTRO DE LANÇAMENTO DE ALCÂNTARA
Publicado em: Brasília, 7 de dezembro de 2009

Militares do quadro de Saúde da Aeronáutica – médicos, enfermeiros, dentistas e técnicos em enfermagem – passaram por treinamento em atendimento de emergências fora do ambiente hospitalar, entre os dias 23 de novembro e 02 de dezembro, no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão.
Os três cursos de formação, ministrados pelo Instituto de Medicina Aeroespacial (Imae) – organização militar da Aeronáutica, por meio da Subdivisão de Medicina Operacional-, tiveram como objetivo nivelar conhecimentos em atendimento de emergências fora do ambiente hospitalar, incluindo em campo – como a base de lançamento -, em consultórios odontológicos, padronizando, com isso, os procedimentos médicos na sala de emergência.
A Diretoria de Saúde da Aeronáutica tem um programa de saúde operacional que visa manter todas as organizações da Aeronáutica prontas para o enfrentamento de emergências decorrentes de suas atividades. “O CLA faz parte desse programa e, dentro de uma cadeia de prioridades, chegou a sua vez”, conta o tenente-coronel médico da Aeronáutica, Eduardo Serra Negra Camerini. Os cursos e treinamentos são planejados e executados adequando-se às peculiaridades operacionais de cada instituição. “A operação realizada no CLA foi bem específica, imaginando-se tanto emergências num lançamento de foguetes, quanto acidentes nas vias de trânsito local”, completa Camerini. Treinamentos de reciclagem estão previstos, em uma próxima etapa.
O Instituto de Medicina Aeroespacial tem como missão o estudo e a pesquisa no campo da Medicina Aeroespacial. Há duas subdivisões no Imae – Medicina de Aviação e Medicina Operacional. O instituto recebeu este nome em 15 de outubro deste ano. “Embora recente, o Imae carrega 58 anos de experiência nessa área, herdados de outras organizações da Aeronáutica, como o Núcleo do Instituto de Fisiologia Aeroespacial (NuIfisal) e o Instituto de Fisiologia da Aeronáutica (Ifisal), sempre trabalhando no desenvolvimento da Medicina Aeroespacial”, conta Camerini.