SOFTWARE DESENVOLVIDO COM APOIO DA AEB FORNECE AO BRASIL NOVA TECNOLOGIA PARA CAPTURA DE IMAGENS
Publicado em: Brasília, 8 de junho de 2009

O coronel aviador Nilo Sérgio de Oliveira Andrade, 47 anos de vida e 30 de aeronáutica, desenvolveu, em maio de 2009, um software capaz de gerar imagens de alta resolução do sensor radar instalado nas aeronaves R-99B utilizadas no Programa do Sistema de Proteção da Amazônia (SIPAM). O novo programa é o resultado da tese de doutorado em Geociência pela Universidade de Brasília (UnB) defendida pelo coronel e coloca o Brasil entre os raros países, como os Estados Unidos, Alemanha, Canadá e França, que desenvolveram tal tecnologia.
O sensor gerador de imagens estudado pelo coronel Andrade é um Radar de Abertura Sintética (SAR). Segundo ele, tais sensores simulam uma antena maior do que as instaladas na aeronave e “têm maior relevância para aplicações científicas, o que produzirá maior volume e diversidade de dados”. Este tipo de radar capta informações visuais tanto do solo quanto do ar em qualquer condição climática e são capazes de capturar de uma até quatro imagens simultâneas da mesma cena.
A partir de um dado bruto coletado pelo radar, o software desenvolvido pelo coronel gera imagens complexas, permite realizar correções de amplitudes e “vazamentos” de sinais (cross-talk) de uma determinada polarização (as polarizações podem ser verticais ou horizontais) em outra. Enquanto os critérios de classificação de imagens atuais baseiam-se em fatores estatísticos, o novo programa utiliza características de fase do sinal. O espectro eletromagnético de um radar utiliza letras para representar freqüências (K, X,C, S, e P). Cada letra tem um comprimento de onda diferente. O sensor trabalha nas freqüências X e L.
Diversos estudos, como a análise da umidade do solo, a identificação de alvos e monitoramento do meio ambiente podem ser feitos a partir dos resultados obtidos. “Na área de alagados da Amazônia, por exemplo, o software pode ajudar no controle de vazamentos de óleo”, explica o coronel. O programa está disponível para a UnB e o Comando da Aeronáutica (Comaer) a fim de ser utilizado e testado pelos pesquisadores dessas instituições.
A Agência Espacial Brasileira (EAB) patrocinou o desenvolvimento desse software o que representa uma integração entre o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) e o Comando da Aeronáutica.