SIMPÓSIO DE SENSORIAMENTO REMOTO COMEÇA EM FOZ DO IGUAÇU
Publicado em: Brasília, 12 de abril de 2013

Brasília, 12 de abril de 2013 – Neste domingo (14) às 19h30 no Complexo Rafain Expocenter, em Foz do Iguaçu (PR), acontece a abertura oficial do XVI Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto (SBSR), promovido pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Na ocasião, também será inaugurada a Exposição Técnica, espaço onde empresas e instituições governamentais apresentarão seus principais produtos e novidades sobre tecnologias relacionadas a satélites e geoprocessamento.

Ainda durante a cerimônia de abertura, que contará com a presença do diretor do INPE, Leonel Perondi, será realizada a premiação dos autores dos cinco melhores trabalhos aprovados na categoria Artigos de Iniciação Científica. Embora a abertura oficial aconteça na noite de domingo, a programação inicia já neste sábado, com a realização de oito cursos. O evento vai até quinta-feira (18).

Além de estimular a cooperação interinstitucional e o desenvolvimento do mercado nesta área, a realização do SBSR significa oportunidade para divulgação de trabalhos técnico-científicos e a troca de experiências entre profissionais sobre as aplicações de sensoriamento remoto.

Promovido a cada dois anos pelo INPE, o SBSR é o maior evento nacional sobre tecnologias relacionadas a satélites e geoprocessamento e um dos maiores do mundo. Em sua 16ª edição, são esperadas cerca de duas mil pessoas de vários países.

Novidade

Pela primeira vez, além da observação da Terra, o simpósio abordará o sensoriamento remoto de outros planetas. Coordenadora de Ciências Planetárias do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da agência espacial dos Estados Unidos (Nasa), a astrônoma Rosaly Lopes coordenará na terça-feira (16), das 9h às 12h, a sessão especial “Sensoriamento Remoto de Superfícies Planetárias”, que mostrará como essa tecnologia serve ao estudo de Marte, do satélite Io de Júpiter e do satélite Titã de Saturno.

Na segunda-feira (15), das 9h às 12h, acontece a sessão “Landsat-8: Planos e Perspectivas”, coordenada por Michael Wulder, do Serviço Florestal do Canadá. Satélite que representa a continuidade do programa norte-americano responsável por um registro único sobre a história do planeta Terra, o Landsat-8 deve contribuir para a vigilância ambiental de vários países. O INPE, por exemplo, utiliza imagens Landsat no PRODES, programa que monitora o desmatamento na Amazônia.

Ainda na segunda-feira, haverá workshops sobre os avanços do sensoriamento remoto para agricultura e sobre tecnologias de laser scanner aerotransportável. E no workshop sobre a contribuição do sensoriamento remoto para a exploração, produção e monitoramento ambiental de áreas petrolíferas, especialistas da Petrobras e outras instituições debaterão como essa tecnologia pode ajudar a cadeia de valor do segmento de óleo e gás no Brasil.

A programação completa do XVI SBSR está na página http://www.dsr.inpe.br/sbsr2013/programacao.html

Fonte: INPE