Notícias

CBERS-4A e FloripaSat são lançados com sucesso

Publicado em: 20/12/2019 18h28 Última modificação: 17/01/2020 17h56

Os satélites Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres (CBERS-4A) e o FloripaSat-1 já estão em órbita a 628 km da Terra. Os dois foram lançados a 00h22 (horário de Brasília) do dia 20 de dezembro, um minuto além do previsto, e cerca de 15 minutos depois, o terceiro estágio do foguete liberou o satélite na trajetória nominal. Além do FloripaSat, mais sete nanossatélites foram de carona com o CBERS-4A no lançador Longa Marcha 4B.

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Marcos Pontes, o presidente da AEB, Carlos Moura, o diretor de Projetos da AEB, Paulo Barros, o coordenador da Missão Floripasat-1, Eduardo Bezerra e outras autoridades brasileiras, acompanharam o lançamento dos satélites do Centro de Lançamento de Taiyuan (TSLC), na China.

Bastante emocionado, o ministro Marcos Pontes relembrou sua trajetória de vida a bordo de um foguete. Segundo ele, quando a situação se inverte, ou seja, quando passa a ser um espectador a situação é bem diferente,   e ver  o foguete decolar é algo maravilhoso”, disse.  O ministro aproveitou o momento para parabenizar a Agência Espacial Brasileira (AEB), o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e todos aqueles que trabalharam para o sucesso da operação.

Para o presidente da AEB, Carlos Moura, foi um voo perfeito que cumpriu completamente o perfil da missão. “As expectativas são as melhores possíveis para o CBERS-4A que continuará, pelo menos quatro anos, fornecendo imagens para os dois territórios. Já o FloripaSat é um exemplo de engenharia aeroespacial que pode produzir pequenos produtos e aplicações interessantes no futuro. É um mundo a explorar.  É a nova tecnologia new space se mostrando na prática”, afirmou Moura.

Parceria China x Brasil

O CBERS-4A é o sexto satélite desenvolvido por meio de uma parceria entre Brasil e China, que já dura 31 anos. O Programa é uma iniciativa inovadora entre Brasil e China que estabeleceu um novo paradigma de cooperação. A convergência de interesses para o desenvolvimento da série CBERS resultou em um modelo de cooperação de sucesso, além de ser um empreendimento inédito na área espacial de tecnologia sensível.

Quando o CBERS-4A estiver plenamente operacional, os usuários do sistema CBERS terão o dobro de imagens disponíveis, já que o satélite CBERS-4, lançado em dezembro de 2014, continua em órbita. Desde a implementação da política de livre acesso a dados e imagens do INPE, em 2004, já foram distribuídas gratuitamente quase 2,4 milhões de imagens CBERS a cerca de 20 mil instituições país.

Em outro setor da economia, o Programa CBERS vem estimulando a participação e capacitação da indústria nacional para o desenvolvimento e fabricação de sistemas e subsistemas de satélites. Os benefícios se estendem à criação de novos empregos e à geração de inovações tecnológicas e de processos, presentes em novos produtos e serviços.

Coordenação de Comunicação Social (CCS)

 

Registrado em:
Assunto(s):
Voltar para o topo