SATÉLITE GEOESTACIONÁRIO SERÁ LANÇADO NESTA QUINTA-FEIRA (4) EM KOUROU
Publicado em: Brasília, 4 de maio de 2017

Idealizado em meados dos anos 2000 como alternativa de desenvolvimento sob o controle do estado, o Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC) será lançado nesta quinta-feira 4 de maio, do Centro Espacial de Kourou, na Guiana Francesa.

Como importante projeto de Estado, o SGDC atenderá a dois objetivos: prover comunicações seguras e estratégicas para o sistema de defesa nacional e promover o desenvolvimento socioeconômico do país, proporcionando a todos os brasileiros um país conectado por meio da massificação da banda larga.

O SGDC marca um momento histórico para o Brasil. É o primeiro satélite brasileiro concebido exclusivamente para a transmissão de dados com alta velocidade e qualidade na banda Ka, cobrindo todo o território nacional e levando internet às regiões mais longínquas do país.

O diretor de Política Espacial e Investimentos Estratégicos da Agência Espacial Brasileira (AEB), Petrônio Noronha de Souza, participou da iniciativa que, segundo ele, gerou uma série de estudos. “O plano não se consolidou de imediato, pois as ideias vieram à tona em meados de 2011 e 2012, quando se pensou em desenvolver um satélite com duas missões: banda larga com inclusão digital e atendimento às necessidades de comunicação do governo, especificamente na área de defesa”.

Como o foco na missão ficou evidente quem seriam os responsáveis pelo satélite e pelo financiamento do Projeto: Telebrás, Ministério da Defesa, Ministério das Comunicações e Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, atualmente integrados.

Contratação

Após definição do processo de responsabilidade, a preocupação seria o modo de contratação, ou seja, Telebrás contrata ou passa para a iniciativa privada?  Foi nessa fase que surgiu a ideia de formação da empresa Visiona, formada com 51% do capital da Embraer e 49% da Telebrás. Criada para gerenciar o SGDC, a Visiona tem como um de seus objetivos permanecer no mercado e operar nas áreas de sistemas e serviços espaciais.

Esse foi o momento crucial para o MCTIC se aproximar da iniciativa, a contratação do satélite traria oportunidades para transferência e absorção de tecnologias para empresas nacionais e a preparação de técnicos brasileiros para operar e desenvolver equipamentos a partir do conhecimento adquirido na empresa Thales Alenia Space.

Por meio de acordo bilateral firmado com a França, a Telebras e a Agência Espacial Brasileira (AEB) elaboraram um plano de absorção e transferência de tecnologia para dar apoio ao desenvolvimento do programa espacial brasileiro. Cerca de 63 especialistas do Brasil acompanharam todo o processo de construção do SGDC, em Cannes e Toulouse, França. São profissionais da Telebras, Visiona, AEB, Ministério da Defesa e do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), órgãos vinculados ao MCTIC.

Cinco empresas brasileiras firmaram contrato de subvenção econômica junto à Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), e já se beneficiam do acordo de transferência de tecnologia, fruto do projeto SGDC. Essas empresas atuarão nas áreas de propulsão, potência e painéis solares, controle térmico, estruturas mecânicas de alta estabilidade baseadas em fibra de carbono; e componentes FPGA e ASIC para aplicações espaciais embarcadas.

10 - SGDC - SGDC in Antonov


Lançamento do SGDC
Data:
 4 de maio de 2017
Horário: 16h30
Endereço: VI Comando Aéreo Regional (VI COMAR) – SHIS – QI 05 – Área Especial 12 – Lago Sul
Cidade: Brasília (DF)

Credenciamento
http://www2.planalto.gov.br/area-de-imprensa/credenciamento

Informações à Imprensa
(61) 3312-4071 ou (61) 2033-7515

Obs: O lançamento do satélite será transmitido pelo site da Visiona e da Ariane Space. A janela de lançamento está prevista para ocorrer no intervalo das 17h15 às 20h20.

Coordenação de Comunicação Social – CCS