PROVAS DA XI OLIMPÍADA DE ASTRONOMIA E ASTRONÁUTICA SERÃO APLICADAS AMANHÃ EM TODO PAÍS
Publicado em: Brasília, 5 de agosto de 2008

Começa amanhã, em todo o País a XI Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA). Promovida pela Agência Espacial Brasileira (AEB), responsável pelo Programa AEB Escola, o evento já conta com 16 mil instituições inscritas. Escolas públicas e privadas de todo o país podem participar da atividade quem tem como objetivo despertar o interesse dos alunos pela astronomia e astronáutica. Em 2007, 350 mil estudantes de dez mil escolas fizeram as provas.

Aos 16 anos, o brasiliense Danilo José Franzim Miranda quis participar do evento assim que ficou sabendo de sua existência, em 2003. Danilo se inscreveu na primeira olimpíada e foi aprovado. Como prêmio participou da Jornada Espacial em São José dos Campos (SP), onde estão localizados o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e o Comando-geral de Tecnologia Aeroespacial (CTA), durante uma semana.
“A jornada foi decisiva na escolha da minha profissão”, lembra o rapaz. Depois de participar por três vezes da OBA e concluir o ensino médio, Danilo quis fazer o curso de engenharia astronáutica. Ex-aluno do colégio militar, hoje ele é aluno do ITA e, pretende, no futuro construir aviões e foguetes.

Professora de geografia do Educandário Eurípedes Barsanulfo, em Sobradinho, há sete anos, Lana Nárcia da Silveira fez, em 2005, o curso de formação continuada de professores, promovido pela AEB. “Os livros didáticos de primeira a quinta série tratam de astronomia, sistema solar, formação da terra, de forma superficial e pouco atraente. Resolvi criar um curso extra, aos sábados na escola, que trabalhasse de forma mais completa esse conteúdo”, diz.

O sucesso entre os alunos foi tanto que a matéria passou a fazer parte do currículo da escola. Lana conseguiu apoio da direção da escola para montar uma sala de astronomia onde alunos de todas as séries podem construir foguetes usando materiais como balões e fios de nylon; bomba de bicicleta, álcool, garrafas pet e clips de prender papel. “No início eram duas horas de aula aos sábados, depois foram três horas e, mesmo assim os alunos não ficaram satisfeitos. O jeito foi ampliar o espaço e a abordagem”, conta.

Os alunos do Educandário já construíram o sistema solar, aprenderam a ler dados fornecidos por satélites e montaram satélites de coletas de dados. “Atualmente, muitos são capazes de montar seu próprio satélite”, diz a professora.
Para este ano, os alunos do Educandário pretendem montar um painel solar para aquecer a água da escola. Eles contarão com a ajuda de dois professores de física que, também, participaram do programa de treinamento continuado promovido pelo Programa AEB Escola.

Os 50 melhores alunos da olimpíada de astronomia vão participar da Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Astronomia, onde terão acesso a cursos e palestras. Desses, os cinco que mais se destacarem poderão fazer a seleção para as Olimpíadas Internacionais de Astronomia.

Os 40 melhores na área de astronáutica serão levados para o Complexo Espacial em São José dos Campos, para a Jornada Espacial, evento organizado pelo Programa AEB Escola onde alunos e professores poderão vivenciar o dia-a-dia de profissionais que desenvolvem as atividades espaciais no Brasil. Terão a oportunidade de aprofundar seus conhecimentos sobre a temática espacial, assistindo a aulas teóricas e práticas ministradas por pesquisadores do INPE e do CTA , além das visitas que farão aos laboratórios desses institutos, . Todos os participantes da OBA receberão certificados e serão distribuídas 20 mil medalhas, como forma de valorizar o esforço dos estudantes. Eles também receberão livros, CD´s, livretos e revistas. O resultado será divulgado em julho.

Serviço
XI Olimpíada Brasileira de Astronomia (oba)
Provas serão realizadas amanhã, sexta-feira, em todas as escolas do País.

Contato
Assessoria de Comunicação da Agência Espacial Brasileira
Tel: 3411-5049/5035