O transporte espacial é todo e qualquer transporte de veículos, seja tripulado ou não, que possa se locomover através do espaço. Atualmente, está associado diretamente à propulsão de foguetes e de espaçonaves, à construção e ao lançamento desses veículos. É essencial para a exploração espacial, que visa a compreensão do espaço como um todo, desde o conhecimento de outros planetas até a procura de vida extraterrestre. Esses são alguns fatores que são primordiais para a descoberta de respostas às várias perguntas que o ser humano tem sobre a sua existência. O transporte espacial também possui como principal atividade o lançamento de satélites de telecomunicações, que são fundamentais para a existência da sociedade nos dias atuais, pois viabilizam a utilização de telefones celulares e smartphones, internet e receptores GPS. Ademais, o transporte espacial está diretamente ligado a uma recente aplicação: o turismo espacial. Este pode ser um motivo de maior crescimento no transporte espacial e imagina-se que no futuro seja possível uma viagem ao espaço como se faz uma viagem de avião ou de carro a um outro país.

No que tange ao Programa Espacial Brasileiro, o transporte espacial é dividido em:

Veículos de Sondagem

Os foguetes de sondagem são utilizados para missões suborbitais de exploração do espaço, capazes de lançar cargas úteis compostas por experimentos científicos e tecnológicos. O Brasil possui veículos operacionais dessa classe, que suprem boa parte de suas necessidades, com uma história bem-sucedida de lançamentos.

O projeto iniciou-se em 1965, com o primeiro lançamento de um foguete nacional, o Sonda I. Esse lançamento foi realizado no Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI). Durante um período de 12 anos, foram realizados mais de 200 experimentos com foguetes de sondagem.

A política de envolvimento crescente das universidades e centros de pesquisa no programa espacial vem acarretando uma demanda maior desses veículos, o que tem levado à continuação de sua produção.

FamiliaSondagem

                Sonda I       Sonda II      Sonda III e III-A        VS-30     VS-30/Orion  VSB-30    Sonda IV               VS-40              VS-43
Fig. 1 – Família de Veículos de Sondagem Brasileiros

Veículos Lançadores

Os veículos lançadores ou foguetes espaciais são peças fundamentais para o desenvolvimento da astronáutica, sendo capazes de lançar ao espaço instrumentos como sondas interplanetárias, que revelam segredos de planetas distantes, e satélites com variadas funções. O desenvolvimento desses veículos, orbitais e suborbitais, é de importância estratégica, pois garante a necessária autonomia para o acesso ao espaço.

O Brasil, por meio do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE/DCTA) e da indústria aeroespacial, concebeu e produziu um bem-sucedido conjunto de veículos de sondagem. Esses foguetes proporcionaram a realização de inúmeros experimentos científicos e tecnológicos. O domínio da tecnologia dos foguetes de sondagem serviu de base para o desenvolvimento de um Veículo Lançador de Satélites , um artefato de quatro estágios, com cerca de 50 toneladas na decolagem, capaz de lançar satélites de 100 a 350 kg, em altitudes de 200 a 1000 km.

Até o momento, os veículos lançadores ainda estão em pleno desenvolvimento. Ressalta-se que houve três tentativas de lançamento do Veículo Lançador de Satélites (VLS).