PROGRAMA ESPACIAL BRASILEIRO ESTARÁ PRESENTE NA SBPC
Publicado em: Brasília, 6 de julho de 2011

A Agência Espacial Brasileira (AEB), o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), o Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), o Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), a binacional Alcantara Cyclone Space (ACS) e o setor industrial estarão juntos no estande do Programa Espacial Brasileiro na 63ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). O espaço terá 100 metros quadrados e estará situado no Pavilhão 3.
Os encontros anuais da SBPC são realizados com o intuito de ampliar o debate sobre a Ciência, Tecnologia e Inovação. Este ano, o tema da SBPC será “Cerrado: água, alimento e energia”. Além da programação sênior, que inclui atividades de sociedades científicas, a entidade realiza, paralelamente ao evento, a ExpoT&C – mostra de projetos de ciência e tecnologia – e a SBPC Jovem, evento com programação voltada para estudantes da rede de ensino básica. O evento reúne milhares de pessoas, entre cientistas, professores e estudantes de todos os níveis, profissionais liberais e demais interessados. Em todas as edições, o público circulante tem sido superior a 10 mil pessoas
No estande do Programa Espacial Brasileiro serão expostas maquetes do Veículo de Sondagem Brasileiro (VSB-30), do Veículo Lançador de Satélites (VLS), da Plataforma Multimissão (PMM), do Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres (Cbers) e do foguete ucraniano Cyclone-4. O público também poderá ver a Plataforma de Coleta de Dados (PCD), a coifa do satélite científico Sara e parte da carga útil levada no voo do VSB-30 na Operação Maracati II, de 2010. Serão exibidos, ainda, spin-offs (expressão inglesa usada para denominar casos nos quais as tecnologias, desenvolvidas no contexto dos programas espaciais, são usadas em atividades fora desse setor) do Programa Espacial Brasileiro e diferentes vídeos.
A indústria aeroespacial estará representada pelas empresas Orbital Engenharia, que exibirá um simulador solar, pela Equatorial Sistemas, que levará para o evento o Imageador Hiperespectral Hiris e pela Opto Eletrônica, que mostrará o mock-up da câmera imageadora WFI-OMB. A Fibraforte levará o Propulsor 5N e o Mecanismo para Abertura de Gerador Solar para Satélite e a Cenic exibirá o Modelo de Qualificação da Estrutura PMM.
O Programa Espacial Brasileiro também estará presente no Pavilhão do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), onde serão distribuídos folderes e revistas institucionais.
Conheça a programação de palestras e conferências oferecidos durante a SBPC:

Conferência no Campus II (Samambaia) da UFG

Dia 14 – Quinta-feira
Horário: das 10h30 às 12h00
“O Programa Espacial Brasileiro”
Conferencista: Marco Antonio Raupp (AEB)

Palestras no Pavilhão da EXPOT&C/MCT

Dia 11 – segunda– feira
Hora: 14h30
“O processo de implementação e de coordenação do Programa Nacional de Atividades Espaciais – uma visão sobre o cenário brasileiro, tecnologias prioritárias e as demandas futuras”
Palestrante: Thyrso Villela Neto (AEB)

Dia 13 – quarta– feira
Hora: 13h30
“Atividade espacial e gerenciamento de desastres”
Palestrante: Carlos Frederico Angelis(Inpe)

Dia 15 – sexta – feira
Hora: 11h
“Clima espacial – Qual a interferência no ambiente terrestre?”
Palestrante: Clézio Marcos de Nardin (Inpe)

Programa AEB Escola – Durante a SBPC Jovem o programa AEB Escola, criado em 2003, pela Agência Espacial Brasileira, realizará oficinas e experimentos.
Serão expostos os livros “Fronteira Espacial” (partes 1 e 2) e “Mudanças Climáticas” – volumes 11, 12 e 13 da coleção “Explorando o Ensino”, do Ministério da Educação (MEC); itens sobre Astronomia e Astronáutica; alguns experimentos sobre microgravidade e as conquistas do Brasil na área espacial. Serão exibidos, também, experimentos didáticos que poderão ser reproduzidos, no estande ou em casa, pelo público. Nas oficinas os visitantes aprenderão a construir um carro foguete e um espectroscópio. Foguetes feitos com garrafa pet serão montados e lançados no espaço externo.
Além disso, O AEB Escola proporcionará aos visitantes minicursos sobre a temática espacial. Confira os minicursos oferecidos pelo programa AEB Escola durante a SBPC Jovem.

A missão Itasat-1
O objetivo dessa atividade é explicar a missão Itasat-1- um satélite de coleta de dados espinado que ficará em uma órbita polar ou de grande inclinação (maior ou igual a 25º) a uma altitude aproximada de 600km (baixa órbita). O satélite Tem as dimensões aproximadas de 60cm de diâmetro e massa estimada de 85kg. A carga útil principal do Itasat-1 é um equipamento de coleta de dados digital. O satélite terá ainda, como carga útil, dois experimentos: um estimador de atitude que utiliza dispositivos Mems e um experimento no qual serão realizadas medidas térmicas para fins de validação de modelos térmicos teóricos.
Responsável: David Fernandes
Data: 11 de julho
Horário: 9h às 11h

Microgravidade
Microgravidade é o nome dado ao estado de imponderabilidade, ou simplesmente queda livre. Não se deve deixar-se enganar pela origem da palavra e imaginar que o ambiente de microgravidade é um local onde atua uma pequena gravidade, da ordem de 10-6g. Na verdade, qualquer astronauta está sujeito a uma força gravitacional que não chega a ser muito menor do que a nossa. Sendo assim, o fator que faz com que o astronauta sempre apareça flutuando nas imagens que temos dele no espaço é o fato de ele e a nave estarem em queda livre juntos. Todos os objetos em órbita estão em um processo de queda sem fim, estando tudo e todos em ambiente de microgravidade. O objetivo deste minicurso é expor melhor o que é a microgravidades, suas principais aplicações e o Programa de Microgravidade do Programa Espacial Brasileiro.
Responsáveis: Carlos Eduardo Quintanilha Vaz de Oliveira, Flávio Victor Dias Neto e Sirlane Gomes Ferreira
Data: 11 de julho
Horário: 14h às 16h

ASTRONOMIA E ASTRONÁUTICA
A astronomia é considerada a ciência mais antiga do mundo. Desde que o homem habita a Terra, ele observa os astros, seja para saber se a luz diurna está acabando ou para decidir sobre a melhor época de plantar e colher. Após este período, a humanidade passou a usar a astronomia como uma forma de estudar o Universo e descrever cientificamente os fenômenos que ocorrem com os astros, tal como órbitas, brilhos e distâncias estelares. Uma das ciências derivadas da astronomia é a astronáutica, que estuda as órbitas e trajetórias dos corpos no espaço. Atualmente, a astronomia depende muito da astronáutica, pois os telescópios modernos estão fora da nossa atmosfera. O objetivo deste curso é mostrar os avanços da astronomia, os conceitos básicos da astronáutica e a dependência da astronomia moderna da astronáutica.
Responsável: Carlos Eduardo Quintanilha Vaz de Oliveira
Data: 12 de julho
Horário: 14h às 16h

SENSORIAMENTO REMOTO
Demonstração de que o sensoriamento remoto é importante ferramenta para promover a integração de diferentes componentes curriculares do Ensino Médio: Geografia, Física, Química, Biologia, Matemática. Essa tecnologia espacial permite uma leitura da realidade física e humana que os mapas usualmente utilizados pelos estudantes não é capaz de proporcionar.
Responsável: Lana Nárcia Leite da Silveira
Data: 13 de julho
Horário: 14h às 16h

CONSTRUINDO E LANÇANDO FOGUETE
Breve histórico do desenvolvimento das atividades espaciais brasileiras, enfatizando o princípio do funcionamento dos foguetes e sua utilidade.
Responsável: Jaime Pereira Antunes Campos
Data: 14 de julho
Horário: 14h às 16h