PRIMEIRO SATÉLITE BRASILEIRO DE COLETA DE DADOS COMPLETA 25 ANOS
Publicado em: Brasília, 10 de fevereiro de 2018
Há 25 anos, completados nesta sexta-feira (09.02), era lançado o Satélite de Coleta de Dados (SCD-1), o primeiro de uma série prevista pela então Missão Espacial Completa Brasileira (MECB).O satélite brasileiro fornece dados ambientais diários coletados nas diferentes regiões do território nacional. Esses dados são utilizados em diversas aplicações, tais como previsão do tempo, estudos sobre correntes oceânicas, marés, química da atmosfera, entre outras.

O SCD-1 é um fenômeno entre os satélites artificiais do mundo e hoje é um dos mais bem sucedidos objetos espaciais com função de monitoramento ambiental já produzido pelo segmento aeroespacial.

Com 115 kg, o lançamento do SCD-1 colocou o Brasil entre as nações que dominam o ciclo completo de uma missão espacial desde sua concepção, até o final de sua operação em órbita.

Funcionalidade

Apesar dos longos e satisfatórios anos de uso, não são todas as funções que estão atuando de maneira eficaz.

Devido a uma falha na bateria, em 2010, o satélite vem funcionando com a ajuda da luz do Sol. Apesar disso, o SCD-1 ainda consegue coletar e transmitir dados ambientais, que acabam destinados ao monitoramento de bacias hidrográficas, marés, meteorologia, clima, pesquisas sobre mudanças climáticas e desastres naturais.

A carga útil do satélite também não é mais a mesma. Atualmente, dos dois transponders de coleta e transmissão de informações telemétricas que compõem o corpo do satélite, somente um está funcionando, o que resulta na falta de precisão das estimativas de posicionamento do satélite no espaço.

Apesar dessas perdas, a funcionalidade do SCD-1 equivale a cerca de 65% de quando foi colocado em órbita.