Mundo

Previsões indicam queda da estação espacial chinesa para 1º de abril

Publicado em: 02/04/2018 13h37 Última modificação: 25/04/2018 11h41

Estimativas recentes preveem a queda da estação espacial chinesa Tiangong-1 por volta das  14h do dia 1º de abril com um erro de mais ou menos 24 horas, segundo informação do site www.satview.org . Atualmente, a Tiangong-1 está em uma órbita com perigeu da ordem de 185 km e altitude média de 194 km. O período orbital é da ordem de 88 minutos e a estação apresenta, na verdade, uma trajetória espiralada em direção à reentrada em algum ponto entre as latitudes 43 graus norte e sul sem possibilidade, em 28 de março, de se saber a posição exata da queda.  Estima-se que as chances de chegada ao solo de qualquer parte da estação Tiangong-1 sejam muito pequenas e a maior probabilidade de queda está nos oceanos.

 

(Figura: posição estimada de uma das últimas passagens da Tiangong-1 sobre o Brasil 29 de março deste ano, por volta das 18:40 UTC. A região circular branca é o footprint ou região de visibilidade.( Fonte: Tracker)

(Figura: posição estimada de uma das últimas passagens da Tiangong-1 sobre o Brasil 29 de março deste ano, por volta das 18:40 UTC. A região circular branca é o footprint ou região de visibilidade.( Fonte: Tracker)

 

No intervalo previsto, as próximas passagens da Tiangong-1 sobre Brasília são

(Fonte: Heavens Above http://www.heavens-above.com)

DATA                  HORÁRIO           ELEVAÇÃO                                          PASSAGEM

31 Mar                 ~14:40                  23°                                                         diurna

31 Mar                 ~23:50                  35°                                                         noturna

01 Apr                  ~14:00                  28°                                                         diurna

01 Apr                  ~23:20                  50°                                                         noturna

02 Apr                  ~13:25                  42°                                                         diurna

Os horários são aproximados e submetidos a variações por conta do aumento do efeito de arrasto da atmosfera terrestre (atrito com o ar). Na lista acima “elevação” corresponde ao ângulo em graus de elevação máxima da Tiangong-1 em relação ao horizonte, para um observador em Brasília no horário designado. As passagens noturnas não são iluminadas pelo sol, portanto, a estação não poderá ser vista. As passagens diurnas, por conta do brilho do céu, também não podem ser vistas.

A melhor maneira de se observar a Tiangong-1 é por meio de radar (uso de ondas de rádio) como mostra a imagem abaixo, obtida em 21 de março pelo Instituto Fraunhofer (https://www.fhr.fraunhofer.de/de/presse-medien/pressemitteilungen/wiedereintritt_tiangong-1.html )

(Figura: imagem sintetizada de radar em 21/3/2018 mostrando a estação Tiangong-1 feita pelo Instituto Fraunhofer)

(Figura: imagem sintetizada de radar em 21/3/2018 mostrando a estação Tiangong-1 feita pelo Instituto Fraunhofer)

A reentrada da Tiangong-1 poderá ser bastante parecida visualmente com o registro em vídeo feito pela ESA, do satélite ATV “Jules Vernes” em 29 de setembro de 2009,  que pôde ser apreciado em  https://www.youtube.com/watch?v=OhBw5yaR_SU A reentrada desse objeto começou a aproximadamente 120 km de altitude sobre o oceano Pacífico.

 

registro da reentrada do satélite ATV “Jules Vernes” feito pela ESA em 29/9/2008

(Figura: registro da reentrada do satélite ATV “Jules Vernes” feito pela ESA em 29/9/2008)

 

 

Coordenação de Comunicação Social

Colaboração do Tecnologista Ademir Xavier

Registrado em:
Assunto(s):
Voltar para o topo