Notícias

Presidente da AEB ressalta importância de consolidar a agenda de 2030 na Unispace +50

Publicado em: 25/06/2018 18h12 Última modificação: 25/06/2018 18h18

O presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), José Raimundo Braga Coelho, fez um pronunciamento, na quarta-feira (20.06), na Conferência das Nações Unidas sobre Exploração e Uso Pacífico do Espaço Exterior (Unispace +50), em Viena, na Áustria.

Ao falar para a comunidade espacial internacional e para dirigentes das agências espaciais, José Raimundo ressaltou a importância e a grande oportunidade de estarem unidos a fim de consolidar a agenda de 2030, um ativo importante e histórico para alcançar um desenvolvimento sustentável a longo prazo.

Diante de uma grande plateia, o presidente da AEB fez um breve histórico sobre os anos 50, quando o mundo assustado deparou com a possibilidade do uso do espaço para o propósito da Guerra Fria. Na época foi criado o Comitê das Nações Unidas para o Uso Pacífico do Espaço Exterior (COPUOS), órgão que transformou o medo da guerra em esperança de paz. “O Brasil tem orgulho de ter participado dessa decisão como um dos primeiros 18 estados-membros do Comitê”, afirmou José Raimundo.

“Isso deve ser levado em conta pelo compromisso de preservar nosso enorme ecossistema e refletir um dos compromissos permanentes do Brasil com a questão da exploração espacial. Pensamos que, se isso for certo, grande parte do mundo ficará muito satisfeita.

Ao relembrar da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, Rio + 20, realizada no Rio de Janeiro em 2012, o presidente da AEB disse que naquela época o Brasil deu passos firmes rumo à consolidação histórica de um novo paradigma: crescer, incluir, proteger e preservar, e é isso que entendemos por desenvolvimento sustentável.

“A cooperação espacial no século XXI é um mecanismo muito poderoso que deve ser usado para fortalecer os relacionamentos entre nossos países”, afirmou o dirigente da AEB, destacando que não faz mais sentido um país desenvolver por si só determinados sistemas espaciais.

“A exploração e o uso do espaço exterior para fins pacíficos é um tema de interesse da humanidade e envolve todos os países, independentemente do nível de desenvolvimento econômico ou científico. Nos últimos 60 anos, vivemos uma cooperação limitada e controlada, agora, nesse promissor novo milênio, estamos prontos para viver uma nova etapa de profunda e ampla parceria, assim enfrentaremos desafios globais e contribuiremos com o desenvolvimento sustentável do Planeta”, disse.

O presidente também defendeu a construção de uma constelação de satélites para observação da Terra, ao invés de um sistema de satélites solitários. Com isso, entregaríamos imagens de todos os lugares da Terra a todos os países, livre de qualquer custo, como se eles fossem ativos sociais universais. “A Terra é um sistema integrado, espaço exterior, embora infinito”.

A fragmentação da vida e outros assuntos costumavam fazer parte de outras iniciativas. Hoje não deveria existir mais ninguém. Em vez disso, devemos acreditar na humanidade que enriquece e diversifica todas as nações, todo lugar no mundo. É tempo de estarmos juntos e lançarmos um novo momento na Era Espacial, um novo capítulo na História da Humanidade.

Discurso do presidente da AEB na Unispace +50.

Coordenação de Comunicação Social – CCS

Registrado em:
Assunto(s):
Voltar para o topo