OFICINA DISCUTE PROGRAMA ESPACIAL
Publicado em: Brasília, 22 de outubro de 2009

O processo de revisão do Programa Nacional de Atividades Espaciais (Pnae) e as contribuições dos mais diversos setores foram temas da oficina realizada nesta terça-feira (20), no auditório da AEB, com a participação de representantes da Agência, governo e iniciativa privada. A atividade faz parte de uma série de ações que buscam soluções conjuntas para a identificar as potencialidades do setor espacial, construir cenários, estratégias e oportunidades. “Nessa oficina foram colocadas as grandes demandas para o Programa Espacial que poderão existir a longo prazo”, destacou o diretor de Política Espacial e Investimentos Estratégicos, Himilcon de Castro Carvalho.
Uma das conclusões, comentou Carvalho, é que todas as questões voltadas à meteorologia continuarão sendo cada vez mais importantes no que diz respeito à área espacial, principalmente o acompanhamento de eventos extremos, como catástrofes de fundo meteorológico, ciclones e chuvas cada vez mais intensas. “Tudo isso é resultado do aquecimento global, um cenário para o qual o Brasil deve se preparar. Nesse ponto, a atividade espacial tem muitas contribuições.”
Outra questão que o país já tem projeção internacional refere-se à área de proteção ambiental e cuja tendência é se tornar cada mais relevante. Nessa atividade, o Programa Espacial também tem muito a contribuir.
Todos esses assuntos farão parte de um debate maior que ocorrerá nos dias 4 e 5 de novembro, em um seminário, em Brasília, no auditório da AEB.