NASA DEVE VOLTAR-SE PARA CIÊNCIA BÁSICA, DIZEM CIENTISTAS
Publicado em: Brasília, 3 de janeiro de 2012

Ciência espacial

Brasília, 03 de janeiro de 2012  – Aproveitando a onda da privatização do espaço, cientistas norte-americanos estão defendendo que a NASA volte-se para a ciência básica.

Com um orçamento que é apenas uma fração do que era há 10 anos, a maior agência espacial do mundo sofre uma aparente crise de identidade – mas aparente apenas para quem não quer se dar conta de que a NASA quer ser muito menor do que era.

Charles Bolden, seu atual administrador, corre o risco de passar para a história como o astronauta que enterrou a NASA, ao levar adiante um projeto difícil de defender perante o eleitor norte-americano: o de transformar um dos maiores orgulhos nacionais em uma agência de compras de artefatos espaciais fabricados por empresas privadas.

Mas há um grupo que aparentemente está gostando da ideia: os cientistas.

Isto porque, mesmo caindo muito, o orçamento da NASA está muito longe de ser desprezível. E os cientistas estão de olho nesses recursos.

Ciência por curiosidade

Um relatório encomendado pela Fundação Nacional de Ciências dos Estados Unidos, e elaborado por uma equipe de cientistas de destaque na área, defende uma linha de pesquisas para a NASA ao longo dos próximos 10 anos, centrada em física fundamental.

“Quando Einstein desenvolveu sua Teoria da Relatividade, ninguém na época sabia exatamente como isso poderia ser aplicado. No entanto, essa descoberta científica básica abriu muitas portas para nós, incluindo o desenvolvimento da tecnologia que levou ao Sistema de Posicionamento Global (GPS)”, defende Rob Duncan, da Universidade de Missouri, que coordenou a elaboração do relatório.

“Muitas tecnologias de trilhões de dólares são baseadas em descobertas nessas “ciências básicas”. Por isso é vital que continuemos a explorar estas questões científicas que, esperamos, continuem a levar a avanços tecnológicos.

“Devemos continuar a desenvolver o conhecimento partindo apenas de nossa curiosidade, já que isto frequentemente leva a grandes oportunidades. Se nós pararmos de explorar o desconhecido, então vamos deixar de descobrir coisas que podem ser de grande importância para a nossa economia de uma forma que pode ser difícil de prever,” apregoa Duncan.

Para isso, segundo o grupo, a primeira missão da NASA deve ser descobrir e explorar as leis físicas que regem a matéria, o espaço e o tempo.

Eles propõem quatro eixos específicos que a NASA deveria explorar na próxima década.

Física da Matéria Condensada Leve

Embora existam alguns exemplos dessa nova classe de materiais, que normalmente são muito fortes, mas muito leves, a compreensão dos princípios de sua organização física pode melhorar drasticamente a ciência dos materiais.

Esses materiais têm aplicações preferencialmente na própria indústria aeroespacial, mas migram para a economia como um todo quando há ganhos de escala.

Medições de precisão das forças e simetrias fundamentais

Isto pode ajudar os cientistas a determinar o que ainda não se sabe sobre a composição e a estrutura do Universo.

Por exemplo, alguns raios cósmicos têm uma energia que é 100 bilhões de vezes mais elevada do que as partículas de maior energia já produzidas nos colisores de partículas, como o LHC.

Enquanto a maioria dos físicos ainda se envolve com a chamada Partícula de Deus, alguns se preocupam com o que se convencionou chamar de “Partículas Ai Meu Deus”, com uma energia cinética equivalente a uma bola de beisebol viajando a 100 quilômetros por hora concentrada em uma partícula subatômica.

Pelo menos 15 desses eventos já foram detectados até hoje, mas ninguém se atreve a falar nada sobre eles.

Gases Quânticos

Compreender os gases quânticos pode revelar como as partículas interagem umas com as outras em um nível absolutamente fundamental.

Exemplos destes materiais incluem os supercondutores e os superfluidos.

Supercondutores são materiais que conduzem eletricidade sem resistência, enquanto superfluidos são os fluidos (como o hélio em temperaturas muito baixas) que não têm resistência ao fluxo.

Matéria Condensada

Como a matéria se altera em estados diferentes, tais como sólidos, líquidos e gases, mudanças de fase semelhantes acontecem em toda a natureza.

Ao estudar essas mudanças no espaço, os cientistas podem eliminar a complicação da gravidade e compreender melhor a física que guia essas mudanças.

“Esperamos que este relatório ajude a orientar a parte científica da exploração espacial. As possibilidades de descoberta são infinitas,” defende o pesquisador.