MUDANÇAS AMBIENTAIS GLOBAIS E OS IMPACTOS NO BRASIL
Publicado em: Brasília, 17 de julho de 2009

“Mudanças ambientais globais e os impactos no Brasil” foi tema do penúltimo mini curso oferecido pelo programa AEB Escola aos visitantes da SBPC Jovem. Ministrado pelo meteorologista Marcos Barbosa Sanches, o evento foi assistido por estudantes de várias escolas de ensino médio de Manaus, no Amazonas.
Em duas horas de curso, Sanches explicou que devido às queimadas, ao desmatamento, às indústrias, à pecuária, entre vários outros, a emissão de gás carbônico na atmosfera cresceu, fazendo assim com que a temperatura do globo terrestre aumentasse. As tempestades severas que aconteceram no país nos últimos meses são apenas uma das conseqüências desse fato.
Segundo Sanches, seu maior incentivo ao preparar e ministrar palestras como essas é fazer com que os alunos reflitam sobre a atual situação climática global. “Esse processo não é só europeu ou estadunidense, é também brasileiro. Infelizmente, a preocupação com a Amazônia é muito menor por parte dos brasileiros do que por estrangeiros”, completa.
Os que assistiram a palestra concordam com Sanches. “Se o homem não mudar suas atitudes em relação a natureza, não sei se teremos futuro”, diz Jessica Chaves, 17 anos, aluna do terceiro ano do ensino médio da Escola Estadual Senador João Bosco.

A problemática
O gás carbônico (CO2) é necessário para que a temperatura no planeta Terra se mantenha estável. No entanto, o aumento da taxa de gás carbônico advindo de termoelétricas, combustíveis fósseis, indústrias, queimadas, desmatamento, agricultura e pecuária, entre outros, fez com a temperatura do globo terrestre também aumentasse.
Desde a Revolução Industrial a emissão de CO2 na atmosfera vem crescendo intensamente. Enquanto o hemisfério norte é responsável pela maior emissão advinda da indústria, o hemisfério sul emite mais gás carbônico pelas queimadas.
Inundações, secas intensas, noites mais quentes, são apenas exemplos das conseqüências do aumento da temperatura global. Um exemplo é o Rio Negro, que não tinha uma cheia como a de 2009 há 56 anos.
Somos ligados a todos os causadores do aquecimento global. Por isso, é necessário que a população se conscientize e pare de usar os recursos naturais como se fossem infinitos.