Notícias

Morre Professor José Félix de Santana, aos 71 anos

Publicado em: 19/01/2020 02h26 Última modificação: 19/01/2020 02h32

Referência para o setor espacial brasileiro ele deixa um legado de mais de 50 anos dedicados ao foguetemodelismo.

A Agência Espacial Brasileira registra, com grande pesar, o falecimento do Professor José Félix de Santana, no último dia 16. Um dos pioneiros nas atividades do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), no Rio Grande do Norte, e precursor das atividades de Rocketry no Brasil, o professor José Félix deixa enorme legado dedicação e de doação à difusão espacial no Brasil.

A AEB lamenta profundamente esta grande perda para o País, e expressa condolências e solidariedade aos familiares, amigos, colegas e admiradores. “Ele acreditava na importância de despertar vocações para a área espacial que é hoje uma das atividades mais relevantes que a AEB procura desenvolver”, lembra o presidente da Agência Espacial Brasileira, Carlos Augusto Teixeira de Moura.

O Professor Félix defendeu enfaticamente a formação de mão de obra qualificada para o mercado espacial. Trabalhou para deixar clara a necessidade de que o Brasil tenha um programa espacial de Estado, robusto, e importância das ações direcionadas às áreas de Ciência, Tecnologia e Educação.

“Nos países como USA, França, China, Rússia, Japão, Canadá, Holanda, etc, foi criado um programa educativo para o ensino médio onde os estudantes têm iniciação com os conceitos básicos desta tecnologia. Ao entrarem nas universidades já estão prontos
para um programa de pesquisa. A criação de programas de orientação técnica, criação dos Spacecamps e a inclusão no currículo escolar desta atividade ajudariam bastante. O Brasil tem uma defasagem de 30 anos neste setor vital para descobrimento de novos talentos e para a formação da mão de obra do Programa Espacial Brasileiro”, afirmou em entrevista a um blog que publica informações sobre a área espacial.

Graduado em Ciências pela Fundação de Ensino Superior de Pernambuco, o Prof. Félix aposentou-se como servidor da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), mas nunca de seu hobby: foguetemodelismo. Durante mais de meio século de atividades dedicadas à área espacial contribuiu para o desenvolvimento do setor. Continuará inspirando jovens e adultos apaixonados por foguetes.

“O que saltava aos olhos no contato com o Prof. Félix era o rigor com o qual ele levava suas atividades e a sua fisionomia sempre séria. Além de metódico ele era exigente. Para mim, essas características eram admiráveis e expressavam o seu caráter. Não à toa, sempre confiei nas suas opiniões e pareceres”, recorda o amigo e admirador José Bezerra Pessoa Filho.

Em 1966 o Professor Félix criou o Centro de Estudos de Foguetes Espaciais do Carpina, por meio do qual colaborou com alunos, professores, técnicos e engenheiros de Pernambuco e do Brasil. Ele era referência na produção de motores-foguetes a propelente sólido destinado a minifoguetes e participante assíduo das Jornadas Espaciais, nas quais desenvolveu atividades com os professores e lançou diversos minifoguetes.

Realizava suas atividades sempre com o rigor de um especialista e com a paixão de um obstinado. De fisionomia séria era metódico e exigente em tudo que fazia. Características admiráveis que expressavam o seu caráter e conferiram credibilidade às opiniões e pareceres por ele emitidos. Após mais de sete décadas de vida sempre se empolgava ao falar sobre temas espaciais e sobre o carinho que tinha pela família.

A Agência Espacial Brasileira agradece a colaboração do Senhor José Bezerra Pessoa Filho pelo envio de texto e fotos fundamentais para a construção desta homenagem.

Nosso muito obrigado por tudo, Professor Félix!

JOSÉ FÉLIX DE SANTANA (1948 – 2020)

Registrado em:
Assunto(s):
Voltar para o topo