MINISTRO E PRESIDENTE DA AEB CUMPREM AGENDA NA RÚSSIA
Publicado: 17/06/2015

Brasília, 17 de junho de 2015 – O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo, e o presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), José Raimundo Braga Coelho, cumprem, desde segunda-feira (15), agenda oficial em Moscou, com o objetivo de ampliar a cooperação entre Brasil e Rússia nas áreas de ciência, tecnologia e inovação (CT&I).

A visita de trabalho inclui a preparação das negociações com a Rússia na área de CT&I, tendo em vista a participação da presidenta Dilma Rousseff na 7ª Cúpula dos Brics (grupo que reúne Brasil, Índia, China, Rússia e África do Sul) na cidade russa de Ufa, nos dias 8 e 9 de julho próximo.

O diálogo Brasil-Rússia na área de CT&I ocorre no âmbito do Acordo de Cooperação Científica e Tecnológica assinado entre os dois países em novembro de 1997. Inclui perspectivas de parcerias nas áreas do espaço, da nanotecnologia, da biotecnologia e das tecnologias da informação e comunicação (TICs). E também diretrizes para a cooperação entre parques tecnológicos e institutos de inovação, tendo como referência, na Rússia, o Centro de Inovação de Skolkovo.

“Ambos os países são protagonistas na constituição dos Brics e do fundo (comum de reservas de câmbio), assinado em Fortaleza em 15 de julho de 2014″, disse o ministro. “E pensamos que a cooperação entre Brasil e Rússia pode ser ampliada e diversificada”, completou.

O ministro e o presidente da AEB participaram ontem (16) de reunião com a Agência Espacial Federal Russa (Roscosmos), representada pelo seu diretor, Igor Komarov. Do lado brasileiro também compareceu o chefe da Assessoria Internacional do MCTI, embaixador Carlos Henrique Cardim.

O encontro objetivou a uma revisão da cooperação já existente na área espacial, com vistas à sua ampliação. Uma das medidas é aumentar a participação brasileira nas estações de calibração do sistema russo de posicionamento e navegação, denominadas Glonass. A estação de calibração é utilizada para aperfeiçoar a precisão do posicionamento dos satélites. Pelo lado brasileiro, como são instaladas em ambientes acadêmicos, são utilizadas no processo de formação de nossos recursos humanos na área espacial.

Já existem duas estações desse tipo instaladas na Universidade de Brasília (UnB). Outras duas serão instaladas no Instituto Tecnológico de Pernambuco (ITP), em Recife (PE), e em Santa Maria (RS). Na reunião com a Roscosmos, discutiu-se a possibilidade de também se equipar as regiões Norte e Sudeste com estações.

A parceria com a Rússia para a instalação de uma estação para o monitoramento de resíduos espaciais também foi objeto de discussão. Sua implementação já se iniciou no Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA), em Itajubá (MG). Para o Brasil, essa cooperação também é muito importante para a formação de recursos humanos na área espacial.

Museu - Rebelo também visitou o Museu da Cosmonáutica de Moscou, sendo recebido pelo seu vice-diretor Laveikin Aleksandr Ivanovich. O museu conta histórias marcantes das experiências do homem no espaço. Faz parte do acervo uma estátua de Yuri Gagarin, o primeiro homem a viajar pelo cosmos, e uma réplica do Sputnik, o primeiro satélite artificial lançado ao espaço.

O ministro e sua comitiva ainda conheceram a cápsula espacial usada em 1961 por Gargarin; sua roupa original de cosmonauta; fragmentos rochosos obtidos na Lua pela missão norte-americana Apolo, da qual participou Neil Armstrong; naves, foguetes e objetos que traduzem o cotidiano dos cosmonautas no espaço.

O museu expõe também dois cachorros empalhados, Belka e Strelka, que viajaram para o espaço, em 1960, e retornaram vivos. Uma réplica da Estação MIR, o projeto mais avançado da então União Soviética, lançado em 1986, também chama a atenção para os detalhes das missões. Ivanovich foi um dos cosmonautas da estação. Ele passou seis meses a bordo da MIR, em 1987.

Rebelo também visitou a Agência de Notícias Tass, que está completando 110 anos. O ministro foi recebido pelo editor chefe da agência, Marat Abulkhatin.

Fonte: MCTI