MERCADANTE DESTACA PAPEL DO INPE PARA INTELIGÊNCIA DO PAÍS
Publicado em: Brasília, 5 de agosto de 2011

Brasília, 05 de agosto de 2011 – A importância do Instituto nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe/MCTI) dentro de uma “inteligência estratégica para o Brasil” foi destacada pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aloizio Mercadante, na comemoração do cinquentenário da instituição. Ele participou, nesta quinta-feira (4), da cerimônia presidida pelo diretor Gilberto Câmara em São José dos Campos (SP).

Na ocasião, foi lançado o Plano Diretor do Inpe, que apresenta metas de curto e médio prazo, com ênfase nos programas de satélites. Houve homenagem aos servidores. O instituto foi, ainda, homenageado pela Câmara Municipal. Realizada no auditório Fernando de Mendonça, a solenidade foi transmitida ao vivo pela internet.

“Toda essa tecnologia, essa inteligência, é um orgulho do Brasil, a contribuição imensa ao desenvolvimento do país”, disse Mercadante, após lembrar o uso dos dados e serviços do Inpe no planejamento territorial, no combate ao desmatamento, na prevenção diante de desastres naturais e na agricultura. Ele parabenizou os funcionários e a direção, dizendo que o instituto ajuda a transformar o Vale do Paraíba num polo industrial e tecnológico.

Em entrevista, o ministro remontou à criação do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), em 1950. “Com isso, nós construímos uma inteligência estratégica para o Brasil, cujos desdobramentos são a Embraer, terceira empresa aeronáutica do mundo, e o Inpe”, comentou.

Para o futuro próximo, ele destacou a construção do sistema de alerta para melhorar a capacidade de prevenção diante de desmoronamentos e inundações causados pelos extremos climáticos. Falou também sobre a perspectiva de um grande avanço no monitoramento da Amazônia em 2012, com o lançamento do satélite CBers 3, de melhor resolução. Ele ressaltou ainda o papel estratégico do programa Ciência sem Fronteiras para a pesquisa.

Vocação

“O Brasil é uma potência ambiental e quer ser o primeiro país tropical desenvolvido na história da humanidade”, disse o diretor do instituto, Gilberto Câmara, em seu discurso. “O Inpe é a principal instituição mundial de P&D na área de Espaço e Ambiente para a região tropical. Esta é a nossa vocação e queremos mantê-la e ampliá-la.” O diretor lembrou os principais passos da consolidação do Inpe, desde a criação do Grupo de Organização da Comissão Nacional de Atividades Espaciais (Gocnae) pelo presidente Jânio Quadros, no contexto da corrida espacial entre os Estados Unidos e a união Soviética.

A presidente Dilma Rousseff enviou mensagem de parabéns ao instituto. “Ao procurar antecipar as demandas da sociedade brasileira por um nível cada vez maior de autossuficiência na esfera das ciências exatas, o Inpe tornou-se referência nacional e internacional em sua área de atuação. Desempenha, dessa forma, um papel de incontestável relevo para o desenvolvimento tecnológico do Brasil”, destaca o texto. Confira a http://http://www.inpe.br/noticias/arquivos/imagens/Mensagem_Dilma.jpg” target=”_blank”>íntegra da mensagem.

Passado e futuro

O Inpe foi criado em 3 de agosto de 1961. Hoje abriga grupos de pesquisas em áreas como geofísica, astrofísica, aeronomia e física de materiais. Depois de conquistar o reconhecimento no sensoriamento remoto por satélites e na meteorologia, o instituto instalou um centro de excelência para detectar mudanças ambientais.

Dispõe de um dos supercomputadores mais poderosos do mundo e, em breve, sediará o Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden) do MCTI.

No local, são construídos satélites para produção de dados sobre a Terra e desenvolvidas pesquisas usadas em áreas como saúde, segurança, gerenciamento de desastres naturais e biodiversidade. A previsão de tempo e clima do Inpe municia setores econômicos como o agronegócio e o planejamento energético.

O Plano Diretor do Inpe está disponível http://http://www.inpe.br/noticias/arquivos/pdf/Plano_diretor_miolo.pdf” target=”_blank”>aqui.