INSTITUIÇÕES TESTAM COMPATIBILIDADE ENTRE CBERS-4 E ESTAÇÃO DE RECEPÇÃO DE DADOS
Publicado em: Brasília, 25 de junho de 2014

Brasília, 25 de junho de 2014 – Os testes de compatibilidade eletromagnética entre o satélite sino-brasileiro Cbers-4 e a estação terrena de Cuiabá (MT) foram realizados com sucesso pelas equipes do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e da Academia Chinesa de Tecnologia Espacial (Cast, na sigla em inglês).

Os testes são para garantir a recepção de imagens e também para verificar a correta decodificação e recuperação dos dados auxiliares transmitidos junto com a imagem, como as informações de telemetria das câmeras e os dados de órbita e atitude do satélite.

O Cbers-4 é o quinto satélite desenvolvido pelo Programa Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres (Cbers, na sigla em inglês), no âmbito da parceria que garantiu ao Brasil e a China o domínio da tecnologia do sensoriamento remoto para observação da Terra. O seu lançamento está previsto para a segunda semana de dezembro próximo da China.

Testes – Realizados de 19 a 21 de maio passado, na estação de rastreio do Inpe em Cuiabá, os testes foram coordenados por Carlos Gonçalves, da Divisão de Eletrônica Aeroespacial (DEA) da Coordenação de Engenharia e Tecnologia Espacial (ETE). A atividade faz parte do Plano de Desenvolvimento e Testes do Programa Cbers, onde a Arquitetura de Comunicações é submetida a testes específicos para a validação da estação terrena. Tanto a estação de controle quanto à de recepção de imagens devem ser validadas para a operação do satélite. As instalações em Cuiabá têm a capacidade de realizar ambas as atividades.

No primeiro teste, os especialistas do Inpe e da Cast verificaram a compatibilidade entre o subsistema Telemetry, Tracking, and Command Subsystem (TTCS) e a estação de Tracking, Telemetry and Command (TT&C) de Cuiabá. Neste teste foram enviados, pela estação de Cuiabá, diversos comandos que controlam a órbita e os subsistemas do satélite, os quais são recebidos e demodulados pelo TTCS e entregues ao computador de bordo. Também foi chegado o envio de telemetrias, pelo TTCS para a Estação Terrena.

A segunda verificação consistiu em garantir um perfeito entendimento entre o satélite e a estação de recepção e gravação, incluído o software do sistema de ingestão e gravação desenvolvido pela empresa brasileira AMS Kepler. Neste teste foi utilizado o subsistema transmissor de dados nacional (MWT).

Imagens previamente gravadas das câmeras MUX e WFI são inseridas nos subsistemas do satélite e transmitidas simultaneamente via cabo para a estação. Após a recepção e a demodulação, é realizada a descompressão, decodificação e visualização em tempo real das imagens. Os dados recebidos devem ser idênticos aos enviados.

Todos os testes atenderam às expectativas e o resultado foi considerado positivo pelos especialistas das duas instituições.

Fonte: Ascom do Inpe