INICIATIVA DA NASA PARA FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS É APRESENTADA NO SBSR
Publicado em: Brasília, 4 de maio de 2011

A demanda por dados espaciais tem crescido drasticamente devido à necessidade de se medir e conhecer mais detalhadamente o planeta Terra. A atual sociedade do conhecimento, fruto da evolução tecnológica, requer profissionais com um novo perfil para atender a essas demandas. O XV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto (SBSR) apresenta nesta quinta-feira (5/5) no Estação Convention Center, em Curitiba, iniciativas na área de Educação para formar recursos humanos desde o ensino básico até a pós-graduação.

A experiência da Nasa, a agência espacial americana, no treinamento da nova geração de exploradores será apresentada em sessão especial, assim como novas metodologias educacionais que vêm sendo adotadas pela Universidade de Aalborg, na Dinamarca, e os desafios para a Educação frente ao estabelecimento das infraestruturas de dados espaciais no Brasil e nas Américas.

Workshops
O sensoriamento remoto de zonas costeiras será abordado durante workshop também nesta quinta-feira (5). Coordenado por Milton Kampel, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e Pedro Walfir M. S. Filho, da Universidade Federal do Pará (UFPA), o workshop mostrará como dados obtidos por diferentes sensores orbitais podem ser utilizados em estudos de manguezais e águas costeiras tropicais.

Será realizado ainda o workshop “Dados e Produtos Meteosat e MetOp em Tempo Quase Real via EUMETCast para Aplicações Meteorológicas e Ambientais”, ministrado por Luiz Machado (Inpe), Humberto Barbosa (UFAL) e José Prieto (Eumetsat). O objetivo é disponibilizar para as comunidades acadêmica e científica dados e produtos de satélites meteorológicos, em tempo quase real, produzidos no sistema EUMETCast da Eumetsat (Organização Europeia para a Exploração de Satélites Meteorológicos) para aplicações voltadas a estudos de convecção atmosférica, interação biosfera-atmosfera, agricultura e assimilação em modelos meteorológicos.

Sensoriamento
Principalmente no Brasil, um país de proporções continentais, o sensoriamento remoto pode e tem sido utilizado em áreas importantes e prioritárias ligadas ao levantamento de recursos naturais e ao monitoramento do meio ambiente para benefício do nosso desenvolvimento econômico e social. Satélites de sensoriamento remoto estudam a superfície terrestre através de poderosas lentes que captam imagens.

Em sua 15ª edição, o Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto (SBSR) tem como objetivo reunir mercado e comunidade acadêmica de geotecnologias e áreas afins. De 30 de abril a 5 de maio, o simpósio apresenta 1.007 trabalhos científicos, sessões especiais com palestrantes do Brasil e exterior, cursos, debates e uma exposição técnica de serviços e produtos diversos, como câmeras que são embarcadas em satélites para imageamento da Terra e softwares para mapeamentos de áreas agrícolas e urbanas.

Promovido a cada dois anos pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais e Sociedade de Especialistas Latino-Americanos em Sensoriamento Remoto (Selper), o SBSR é o maior evento nacional sobre tecnologias relacionadas a satélites e geoprocessamento e um dos maiores do mundo. Esta edição em Curitiba reúne cerca de 2 mil pesquisadores e especialistas de todo o Brasil e mais 27 países.

Mais informações no site http://www.dsr.inpe.br/sbsr2011