FÓRUM DE PESQUISA INOVAÇÃO DO CLBI ENCERRA AS ATIVIDADES COM EXPOSITORES APRESENTANDO SEUS PROJETOS
Publicado em: Brasília, 13 de maio de 2011

O segundo dia do I Fórum de Pesquisa e Inovação do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), realizado hoje(13), foi dedicado à apresentação dos projetos em desenvolvimento nos institutos executores do Programa Espacial Brasileiro, como o Instituto de Estudos Avançados (IEAv) e o Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe).

A primeira palestra foi ministrada pela gerente da subdivisão de Sistemas de Apoio à Decisão do Instituto de Estudos Avançados (IEAv), Mônica Maria de Marchi, que mostrou os vários projetos em desenvolvimento em sua divisão. Um deles é o projeto “Aplicações Operacionais de Sistemas de Apoio à Decisão” (Aosad), que tem como objetivo prover informações relevantes à tomada de decisões, nos níveis operacional, tático e estratégico, utilizando um sistema de simulação para planejamento tático-estratégico de missões de defesa.

Também do IEAv, o major Roberto da Cunha Follador, integrante da equipe de Aerotermodinâmica e Hipersônica (EAH), apresentou o Projeto 14X, o primeiro veículo aeroespacial hipersônico brasileiro. A nave tem tecnologia de propulsão com ar aspirado e a finalidade de colocar satélites em órbita. Segundo Follador, o objetivo do projeto é proporcionar a Força Aérea Brasileira (FAB) e ao País “acesso à promissora tecnologia dual de veículos hipersônicos, além de proporcionar ao Brasil a oportunidade inédita de seguir na dianteira de uma linha de pesquisa avançada em um momento estratégico”. Nenhum país no mundo domina a tecnologia dos motores hipersônicos.

Do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), João Carlos Pecala Rae, apresentou o projeto de um transponder de coleta de dados para um nano satélite do Sistema Brasileiro de Coleta de Dados Ambientais. A mestrando em engenharia da produção na Universidade Federal da Paraíba, Suellen Maia, abordou a substituição da madeira por plástico reciclado na construção de casas populares. Do CLBI, Glauberto Albuquerque apresentou o projeto de um receptor GPS para uso espacial.

Segundo o vice diretor do CLBI, coronel Maurício Alcântara, “este é o primeiro de vários eventos de inclusão de institutos de pesquisa ao CLBI. Essa intercomunicação é essencial para o desenvolvimento dos projetos. Isso auxiliará a evolução do Programa Espacial Brasileiro”, disse.