ESTUDANTES DO ENSINO BÁSICO PARTICIPAM DA SEMANA DE EXTENSÃO DA UNB
Publicado em: Brasília, 30 de setembro de 2009

Uma feira de artesanatos deu as boas-vindas a quem entrava na Ala Norte do câmpus Darcy Ribeiro da Universidade de Brasília nesta terça-feira (29/9). Roupas feitas em algodão, colares com sementes, caixinhas de material reciclado, bolsas, brincos, chocalhos e até cocares indígenas chamaram a atenção dos participantes da 9ª Semana de Extensão da UnB, que vai até sexta-feira (2/10), nos quatro câmpus da universidade. São cerca de 20 mil inscritos em minicursos, palestras, seminários e oficinas.

A estudante do 1º semestre de história Brena Neves, 18 anos, ficou encantada com as gravuras de artistas da década de 1960 e de pinturas clássicas, vendidas pelo vendedor itinerante Roberto Segabinazzi. Comprou uma imagem da cantora Janes Joplin. “Gosto de coisas antigas”, diz.

Mas não foram apenas os universitários que tomaram as dependências da instituição. Crianças, adolescentes e estudantes do Distrito Federal e de outros estados aproveitaram as centenas de atividades oferecidas gratuitamente para renovarem seus conhecimentos.

Cem alunos do Centro de Ensino Fundamental São Bartolomeu, de São Sebastião, foram à UnB pela primeira vez para participar de uma oficina de matemática com jogos recreativos de geometria e lógica. “Eles estão ensinando muitas coisas legais para a gente”, comentou a pequena Renata Pereira, 11.

Já os estudantes do CEF Miguel Arcanjo, também de São Sebastião, se divertiram com a exposição AEB Escola, promovida pelo Instituto de Física da UnB, com apoio da Agência Espacial Brasileira. O aluno da 5ª série Emerson Brandão, 11, ficou fascinado com o foguete que lança satélites e a forma de se fazer a previsão do tempo. “É bom demais, estou aprendendo coisas que nunca tinha visto antes”, afirmou.

Segundo o professor responsável pela exposição, José Leonardo Ferreira, a mostra está aberta para quem quiser ver. Trata-se de uma comemoração ao ano internacional da astronomia. “Contamos a história desde o início da astronomia até as conquistas atuais da astrofísica. Os destaques são a evolução dos telescópios, da luneta galileana de 1609 até modernos telescópios refletores.”