Globe

Professores brasileiros coletando dados hidrológicos.

O GLOBE é um Programa Internacional de Ciência e Educação desenvolvido pela Agência Espacial Americana (NASA). A sigla Global Learning and Observations to Benefit the Environment, em inglês, significa “Aprendizagem Global e Observações para Benefício do Meio Ambiente”. O GLOBE encoraja a participação de estudantes, professores, cientistas e cidadãos em todo o mundo em coletas de dados ambientais e em estudos científicos, contribuindo para a compreensão do meio ambiente nas escalas local, regional e global. O Programa iniciou suas atividades em 1995 e, hoje, conta com uma rede formada por escolas em 120 países. Mais de 150 milhões de dados ambientais obtidos em todo o mundo já foram inseridos no banco de dados do GLOBE e são utilizados em diversas investigações científicas.

Os dados do GLOBE são coletados seguindo protocolos desenvolvidos por cientistas, testados em salas de aula e executados por estudantes em todo o mundo. A utilização desses protocolos padronizados garante a qualidade dos dados obtidos, de maneira que possam ser usados em apoio à pesquisa desenvolvida tanto por estudantes quanto por cientistas. O GLOBE permite a investigação de várias áreas da ciência ambiental, como atmosfera (clima), hidrologia, solos, cobertura do solo (vegetação) e fenologia (estudo dos ciclos de vida animal e vegetal).

O Brasil oficializou a sua entrada no programa GLOBE em junho de 2015, por meio de acordo assinado entre a Agência Espacial Brasileira (AEB) e a NASA. A AEB tornou-se a instituição responsável, por meio da Diretoria de Satélites, Aplicações e Desenvolvimento (DSAD), pela implementação do GLOBE em todo o território nacional. Como o Brasil é uma peça fundamental para os estudos ambientais, pois possui grande diversidade ambiental e um extenso território, sua participação no programa GLOBE contribui para pesquisa e desenvolvimento correlacionados às mudanças climáticas em todo o mundo. Além disso, o GLOBE contribui para a divulgação e formação científica de cidadãos, que podem cadastrar-se na página do Programa, e motiva professores e estudantes a participarem de pesquisas desde o ensino básico.

As atividades do GLOBE no Brasil iniciaram-se em junho de 2016, com a realização do 1º Workshop GLOBE – Brasil em Brasília, quando foram capacitados professores das redes pública e particular de ensino do Distrito Federal. Com o objetivo de expandir o número de escolas participantes do Programa e atingir diversas regiões do Brasil, a AEB realiza periodicamente workshops de capacitação de professores em várias cidades do país, como São José dos Campos (SP), Paranaguá (PR), Rio de Janeiro (RJ) e Natal (RN). Em março de 2018, Natal recebeu o primeiro workshop GLOBE realizado em um Centro Vocacional Tecnológico Espacial (CVT–Espacial), localizado no Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI).

Acesse a página do Programa GLOBE .

Como fazer parte do GLOBE

Para fazer parte desta comunidade cientifica internacional, há três formas de adesão: a primeira seria o treinamento virtual em um protocolo, que pode ser realizado a qualquer momento pelo site do programa. Este material está em língua inglesa, mas já há alguns protocolos traduzidos para português.

Há, também, a alternativa presencial, pois periodicamente a AEB oferta workshops de curta duração sobre os protocolos do GLOBE.

A última forma de participação é específica para profissionais da área de Ciência, Tecnologia, Engenharias e Matemática, com a possibilidade de colaborações virtuais com cientistas de todo o mundo para publicações cientificas.

Acesse a página do Programa GLOBE  ou envie um e-mail para dsad.globe@aeb.gob.br,  caso tenha dúvidas e/ou sugestões de cidades para verificarmos a viabilidade de um workshop.