DIRETOR DA AEB SE REÚNE COM GOVERNADORA DO RIO GRANDE DO NORTE
Publicado em: Brasília, 21 de janeiro de 2013

Brasília, 21 de janeiro de 2013– No final da manhã da sexta-feira (18/01), o diretor de Satélites, Aplicações e Desenvolvimento da Agência Espacial Brasileira (AEB/MCTI), Carlos Gurgel, foi recebido pela governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini. O encontro em Natal foi uma iniciativa do governo estadual para captar cooperações voltadas para o desenvolvimento científico e tecnológico.Participaram da audiência a diretora-presidenta da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Norte (Fapern), Maria Bernardete Cordeiro, e a reitora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Ângela Paiva. O representante da AEB também visitou o campus da universidade. Durante a reunião com a governadora, foram discutidos possíveis projetos e ações entre a UFRN, a AEB e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe/MCTI), que deverão receber o apoio do governo potiguar, em especial por meio da Fapern.“Essa cooperação com os governos pode gerar resultados ainda mais interessantes, pois pesquisas com satélites podem ser usadas em estudos do Ibama, regularização fundiária, Emater, Embrapa e muitas outras instituições de diferentes autarquias”, disse Gurgel.A governadora Rosalba ratificou o compromisso do estado em cooperar no que for necessário para viabilizar centros de pesquisas ou formação técnica voltada para as pesquisas desenvolvidas pela agência. “Temos total interesse em colaborar, inclusive há editais da Fapern abertos que podem ser utilizados para essa finalidade. Seria um prazer para o Rio Grande do Norte fazer parte de estudos de ponta”, disse.

Visita à UFRN

Na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Gurgel discutiu com a reitora Ângela Paiva Cruz e a vice-reitora Maria de Fátima Freirede Melo Ximenes a possibilidade de cooperação entre as duas instituições.

Também estavam presentes o chefe do Centro Regional do Nordeste do Inpe, Manoel Mafra, pró-reitores, diretores de centros e professores das áreas de física e geografia.

Ângela Paiva fez uma apresentação resumida da UFRN, falando do empenho da instituição em trabalhar os arranjos produtivos que contribuam para o desenvolvimento do Rio Grande do Norte e do Brasil, focando sua atuação também na pesquisa aplicada. Ela também informou sobre os projetos de criação de um curso de graduação em engenharia espacial, de uma pós-graduação em ciências atmosféricas e de um curso de especialização à distância na área espacial.

A instituição, segundo sua dirigente, tem expertise em áreas como ciências atmosféricas e astronomia e precisa de garantias do governo federal para “investir nessa área, e crescer”. Ela destacou que a educação a distância tem sido uma referência nacional e que a preocupação com a qualidade é a mesma dedicada à educação presencial.

O diretor de Satélites da Agência Espacial Brasileira afirmou que a instituição do MCTI tem interesse em trabalhar com as instituições de ensino superior, uma vez que “o processo de formação e pré-qualificação dos recursos humanos tem que estar na academia”. A Diretoria de Satélites, afirmou ele, está com a tarefa de conhecer o que as universidades estão fazendo e consolidar as cooperações existentes.

Carlos Gurgel afirmou que a presença do Inpe já provoca a universidade a ter uma relação com a Agência Espacial Brasileira. “Algumas universidades precisam consolidar os estudos espaciais e acho que uma dessas universidades é a UFRN”, disse.

O diretor da AEB apresentou o Programa Nacional de Atividades Espaciais (Pnae) 2012-2021 e falou sobre alguns projetos, dentre os quais a criação de um curso de especialização à distância na área espacial, cuja proposta está sendo encaminhada ao Ministério da Educação (MEC). A expectativa, segundo ele, é que a pasta federal envolva as instituições.

 

Texto: Ascom-RN e Ascom da UFRN