DELEGAÇÃO DE INDÚSTRIA ESPACIAL BRASILEIRA PODE VISITAR A BÉLGICA EM SETEMBRO
Publicado em: Brasília, 30 de junho de 2011

O embaixador da Bélgica, Claude Misson foi recebido na sede da Agência Espacial Brasileira (AEB), hoje (30), pelo presidente, Marco Antonio Raupp, e o chefe da Assessoria de Cooperação Internacional, José Monserrat Filho para estudar formas de incrementar a cooperação espacial entre os dois países. Ao término do encontro foram tomadas duas decisões. A primeira é tentar organizar a visita de uma delegação de empresários da indústria espacial do Brasil às empresas espaciais belgas. A outra é promover a formação de recursos humanos especializados, em universidades da Bélgica, nas áreas de engenharia e aplicações espaciais.

Se a viagem se concretizar, o grupo será chefiado por Raupp e fará contato com diversos atores da indústria espacial belga, hoje composta por mais de 40 grandes empresas no setor, para possíveis acordos comerciais e de cooperação.

Visita Presidencial

A comitiva brasileira precederá a visita da presidenta Dilma, que no dia quatro de outubro participará da Europália, maior festival cultural da Bélgica, realizado a cada dois anos, que terá o Brasil como tema nesta edição. O evento será sediado na cidade de Bruxelas e ocorrerá entre outubro de 2011 a janeiro de 2012.

Para Monserrat, a ida da presidenta àquele país, dias após a visita do grupo de empresários brasileiros é muito importante porque pode gerar negócios e acordos entre empresas dos dois países.

Especialização na Bélgica

A capacitação profissional foi um dos temas abordados no encontro. A possibilidade da abertura de vagas para mestrado e doutorado na área espacial foi discutida. Segundo Monserrat, esse interesse pela troca de conhecimento, já acordado ano passado e reafirmado pelo embaixador Claude Misson, será fundamental para o Programa Espacial Brasileiro. “Atualmente, o setor espacial sente a falta de profissionais qualificados. Iniciativas como essas podem ajudar a desobstruir este gargalo”, diz Monserrat. Segundo ele, a reunião veio em boa hora. “A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) irão oferecer por meio do programa “Brasil sem Fronteira”, 75 mil bolsas para estudos no exterior até 2012. A área espacial pode se beneficiar desses acordos”.

No ano passado, brasileiros e belgas assinaram dois acordos bilaterais de cooperação internacional. Um contempla as áreas de espaço, de microeletrônica, de nanotecnologia; de biotecnologia, de energia nuclear e de ciências humanas e sociais. O outro visa o intercâmbio acadêmico e científico entre os dois países.