Veículos Espaciais

CLA lança 20º foguete de treinamento básico

Publicado em: 22/06/2017 17h03 Última modificação: 19/02/2018 15h15

O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) realizou nesta quinta-feira (08.06) o lançamento do 20º Foguete de Treinamento Básico (FTB), disparado ao norte da costa maranhense. O lançamento faz parte da Operação Falcão I/2017, iniciada na última segunda-feira (05.06) em Alcântara, com o objetivo de lançar e rastrear um FTB, coletando dados via telemetria, com a finalidade de realizar o treinamento operacional do CLA e, ainda, coletar dados para qualificação e certificação do veículo.

O 20º lançamento do FTB em Alcântara ocorreu às 11h50 da manhã. O foguete atingiu uma altitude máxima (apogeu) de 31 quilômetros em 1min16seg de voo, vindo a atingir o ponto de impacto em alto mar a uma distância de 16 quilômetros da plataforma de lançamento. Ao todo, o voo do veículo durou 2min45seg até a queda no oceano Atlântico. A Operação Falcão I/2017 reuniu toda equipe operacional do CLA, além de militares que atuaram no suporte à campanha de lançamento pertencentes ao Grupamento de Apoio de Alcântara (GAP-AK) e ao Destacamento de Saúde de Alcântara (DS-AK).

O lançamento realizado na manhã desta quinta-feira foi acompanhado por comitiva chefiada pelo Major Brigadeiro do Ar Luís Roberto do Carmo Lourenço, Comandante do Quarto Comando Aéreo Regional (COMAR IV); também contou com representantes das áreas comercial e de serviços, eclesiástica, educacional, financeira, industrial, política e sindical, oriundos do estado de São Paulo.

Além da comitiva paulista, estiveram presentes professores da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), componentes do Programa de Pós-Graduação ligado ao Mestrado Profissional em Engenharia de Computação de Sistemas Aplicados à Engenharia Aeroespacial, que foi iniciado neste ano em cooperação com o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e com apoio do CLA.

“Eu acredito nessa parceria do Centro com as universidades para que a gente possa ajudar na solução de problemas do CLA, um espaço que se baseia em tecnologia, e as universidades locais, tanto estadual quanto federal, desenvolvem muitas pesquisas que podem contribuir para o Centro, ao mesmo tempo em que teremos alunos com uma motivação muito maior em trabalhar numa área de tamanha atração como a espacial”, destacou o professor Areolino Neto.

Assunto(s):
Voltar para o topo