CEARENSES SELECIONADOS PARA OLIMPÍADA
Publicado em: Brasília, 3 de setembro de 2009

Cinco estudantes do Colégio da Polícia Militar foram selecionados para participar da 1ª Jornada de Foguetes da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica, que vai se realizar em Mendes (RJ). Cerca de 50 escolas foram selecionadas
Nos últimos meses, eles têm “brincado” de lançar foguetes didáticos. Usando vinagre e bicabornato de sódio como combustível, eles conseguiram fazer um artefato de garrafa pet alçar voo, alcançando uma distância de 72 metros.

Diante do resultado, os alunos do 3º ano do ensino médio do Colégio da Polícia Militar, da rede pública estadual, Alexsandra Lopes, Beatriz Bezerra, Caio Dezerrir, Djair Nogueira e Maíra Caroline Lopes, todos de 17 anos, foram selecionados para participar da 1ª Jornada de Foguetes da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), que vai se realizar em Mendes, no Rio de Janeiro, de 7 a 12 de setembro.

A OBA é realizada pela Sociedade Astronômica Brasileira em parceria com a Agência Espacial Brasileira. Aplica não somente provas, mas também sugere atividades práticas, como observação noturna, diurna, construção de maquetes e lançamento de foguetes didáticos.

Dentro da OBA tem a Olimpíada Brasileira de Foguetes (OBFOG). “A gente estava estudando pra fazer a prova (da OBA) e decidiu fazer o foguete. A gente fez só pra brincar”, comemora Maíra, integrante da equipe.

De acordo com Caio, desde abril eles vêm se empenhando. Começaram a fabricar o foguete, estudar combustível, construir a base de lançamento, entre outros aspectos. Agora, eles vão aproveitar o resultado de todo o esforço.

De acordo com o coordenador nacional da OBA e da OBFOG, professor João Batista Garcia Canalle, Cerca de 50 escolas de todo o País terão representantes. De terça a sábado, haverá palestras na área de Astronáutica (Engenharia Aeroespacial), sobre o histórico da corrida espacial. “Eles vão assistir à palestra, na qual se monta um protótipo”, destaca Canalle.

Para o professor de Física do Colégio da Polícia Militar, Carlos Alberto Araújo Lopes, que é pai de Maíra, o que os jovens têm em comum é a curiosidade e a teimosia. “Eles não se satisfazem com respostas prontas, querem entender os porquês” sorri.

E-MAIS > Neste ano, os cinco jovens estão se preparando para o Vestibular. Alexsandra Lopes quer cursar Engenharia Ambiental, Beatriz Bezerra quer Engenharia Elétrica, Caio Dezerrir deseja estudar Engenharia Civil, Djair Nogueira, Direito, e Maíra Caroline Lopes, Engenharia Química.

>Segundo Caio, todos são bons alunos, mas não se consideram gênios. “O que a gente tem é criatividade e parceria. Ser só inteligente não adianta. É preciso saber se beneficiar da inteligência. Ter sido selecionado é só uma consequência da responsabilidade que a gente empregou”, explica.