BRASIL SE PROPÕE APOIAR MONITORAMENTO DE FLORESTAS NA ÁFRICA CENTRAL
Publicado em: Brasília, 19 de novembro de 2013

Brasília 19 de Novembro de 2013 – O Brasil apresenta na COP-19, a conferência climática das Nações Unidas que se realiza em Varsóvia, na Polônia, proposta de apoio ao desenvolvimento de sistemas nacionais de monitoramento de florestas na África Central. Com a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, o diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Leonel Perondi, participa nesta terça-feira (19) de reunião com ministros de países africanos para detalhar projeto de cooperação.

Por meio do Inpe, a experiência brasileira no monitoramento da Amazônia com imagens de satélite vem sendo compartilhada com países em desenvolvimento. A política nacional de código aberto de tecnologias de geoinformática e gerenciamento de grandes bancos de dados tem permitido que outros países adaptem as ferramentas para atender suas condições específicas.

Um dos exemplos é o TerraCongo, já em operação na República Democrática do Congo e que foi criado a partir do TerraAmazon, tecnologia desenvolvida pelo Inpe para seus sistemas Prodes e Deter, utilizados no monitoramento da Amazônia.

O projeto apresentado na COP-19 ampliará a capacitação técnica dos países da África Central no uso de imagens de satélites para monitoramento de suas florestas. A intenção é que as nações tenham autonomia no monitoramento de seus recursos naturais e gerem suas próprias informações para a geração de políticas públicas voltadas para a redução de emissões por desmatamento e degradação.

Além da transferência da tecnologia de monitoramento, o projeto contempla a instalação de uma estação de recepção de dados de satélite e a atualização de outra já existente na África Central (Gabão). Isto contribui para que todos os países da região tenham acesso aos dados de satélite e possam, portanto, dar continuidade ao seu monitoramento após a capacitação técnica.

A instalação de antenas de recepção é parte do programa Cbers for Africa, que prevê o livre acesso aos dados do satélite sino-brasileiro Cbers a todos os países do continente africano.

Ascom do Inpe