BRASIL PROPÕE AO CANADÁ NOVAS PARCERIAS ESTRATÉGICAS EM C,T&I
Publicado em: Brasília, 29 de junho de 2011

Desde 2008, depois da assinatura do Acordo Quadro Brasil-Canadá para Cooperação em Ciência, Tecnologia e Inovação, os dois países vêm se firmando como parceiros estratégicos em C,T&I. As áreas de interesse na cooperação são tecnologia da informação, energias renováveis, biotecnologia, pesquisa marinha e oceânica, tecnologias sustentáveis e nanotecnologia. Hoje (28), o ministro da Ciência e Tecnologia do Brasil, Aloizio Mercadante, recebeu o ministro do Comércio Internacional do Canadá, Edward Fast. Além das áreas já citadas, novos acordos de interesse foram ressaltados, como área espacial, e intercâmbio de jovens estudantes.

Mercadante falou do programa do governo da presidenta Dilma Rousseff em selecionar no prazo de quatro anos 75 mil estudantes para estudarem no exterior. “Já temos uma proposta de enviar 30 mil estudantes para os Estados Unidos, 10 mil para a Inglaterra e 10 mil para a Alemanha. Gostaríamos muito de poder contar com o Canadá no sentido de estabelecermos uma parceria para o intercâmbio desses jovens. Escolheremos estudantes de ponta para estudar e estagiar no exterior”, disse.

O ministro falou também da intenção de firmar parceria também na construção de veículos lançadores de satélite. “Temos uma base a dois graus da linha do Equador e, por isso, é uma vantagem enorme no lançamento de foguetes. Estamos construindo o cyclone – 4. A ideia é que a gente desenvolva os foguetes e vocês (Canadá), os satélites”, destacou.

Aloizio comentou ainda da intenção de transformar a Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) em banco com o objetivo de criar novas linhas de crédito para fortalecer principalmente a inovação. Ele citou ainda a Olimpíada Brasileira de Matemática nas Escolas Públicas (Obmep) como principal incentivo de jovens de desenvolverem o conhecimento. Além disso, adiantou a criação de uma olimpíada da tecnologia da informação.

Canadá

O ministro do Comércio Internacional do Canadá, Edward Fast, também se mostrou alinhado com as expectativas do ministro brasileiro em criar novas parcerias em ciência, tecnologia e inovação. “Inclusive reitores de diversas universidades canadenses visitarão em breve o país e terão a oportunidade de estreitar as relações de intercâmbio. Nossa intenção é explorar novas estratégias”, disse.

Edward falou também da visita do primeiro ministro do Canadá, Stephen Harper que virá ao Brasil em agosto. “Para esta visita podemos estudar a efetivação de diversas parcerias. Inclusive queremos estabelecer o intercâmbio também do setor privado. Queremos colocar nossos melhores empresários para se relacionarem com os empresários brasileiros”, acrescentou.