BRASIL ENVIA À CHINA MAIS UM EQUIPAMENTO PARA O CBERS-4
Publicado em: Brasília, 16 de junho de 2014

Brasília, 16 de junho de 2014 – A Odebrecht Defesa e Tecnologia (ODT) e sua controlada Mectron embaraçaram para a China o terceiro modelo de voo do Gravador Digital de Dados (DDR) para o Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres Cbers-4, encomendado pela Agência Espacial Brasileira (AEB) e pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

A produção do gravador é uma grande conquista para a indústria espacial nacional, sendo o primeiro equipamento deste tipo a ser completamente desenvolvido e fabricado no Brasil. O DDR concebido é responsável pelo armazenamento das imagens terrestres captadas pelas câmeras do satélite.

Na China o equipamento será integrado ao novo satélite previsto para ser lançado no início de dezembro próximo. O DDR é composto por duas unidades: o SRR, um gravador de estado sólido, com cinco canais para dados de imagem e com capacidade de armazenamento de imagens digitais de 40 Gbytes, e o DSS, uma unidade de chaveamento de sinais.

Após serem captadas pelas câmeras, as imagens permanecem temporariamente armazenadas no DDR até que o satélite entre em área de contato com a estação de controle em solo, quando então são disponibilizadas aos transmissores do satélite que as enviam à estação de controle. Posteriormente, tais imagens serão utilizadas em importantes atividades como o controle do desmatamento e queimadas na Amazônia Legal, monitoramento de recursos hídricos, áreas agrícolas, crescimento urbano, ocupação do solo e inúmeras outras aplicações.

No Brasil, praticamente todas as instituições ligadas ao meio ambiente e recursos naturais são usuárias das imagens do Cbers. Esta família de satélites é considerada fundamental para grandes projetos nacionais estratégicos, como o Monitoramento da Floresta Amazônica Brasileira por Satélite (Prodes), de avaliação do desflorestamento na Amazônia, o Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter), de avaliação do desflorestamento em tempo real, e o Canasat, monitoramento das áreas canavieiras, entre outros.

Com informação do Defesanet