Notícias

Brasil e Estados Unidos firmam acordo para desenvolver nanossatélite

Publicado em: 26/03/2019 11h58 Última modificação: 22/05/2019 09h51

O presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), Carlos Augusto Teixeira de Moura e o administrador adjunto da Agência Nacional de Administração Espacial (NASA), James W. Morhard, assinaram no dia 18 de março, em Washington (EUA), memorando de Entendimento para desenvolvimento de um satélite. Trata-se de um cubesat chamado SPORT – Scintilation Prediction Observations Research Task.

A missão SPORT tem como objetivo estudar fenômenos da ionosfera com ênfase em uma ocorrência conhecida como anomalia magnética do hemisfério sul. Segundo o presidente da AEB, Carlos Moura, essa é uma excelente oportunidade de brasileiros e americanos se aproximarem e trabalharem juntos para fazer ciência de qualidade e fortalecer a parceria entre os dois países.

Para o chefe do Departamento de Sistemas Aeroespaciais, professor e coordenador gerente da parte brasileira do SPORT no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), Luis Eduardo Vergueiro Loures, o SPORT é uma missão científica de grande interesse para o Brasil.

“A interação entre o ITA e a Nasa resultará em dividendos para outros projetos desenvolvidos nas áreas espacial e aeronáutica no Brasil. Todos os conhecimentos adquiridos com o projeto estão migrando para as salas de aula do ITA”, ressalta o professor Loures.

Coordenada pelo Marshall Space Flight Center, da Nasa, a Missão SPORT tem como principais parceiros a Agência Espacial Brasileira, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e o Instituto Tecnológico Aeronáutico (ITA), sendo o INPE o responsável pelo sistema de solo e operação do satélite, integração e testes. INPE e ITA integram o Programa Espacial Brasileiro, coordenado pela Agência Espacial Brasileira (AEB).

SPORT1

“A responsabilidade pelo armazenamento dos dados científicos da plataforma e da missão SPORT, por meio do programa de Estudo e Monitoramento Brasileiro do Clima Espacial (Embrace), que distribuirá as informações para a comunidade científica mundial, também caberá ao INPE”, explicou Otávio Santos Cupertino Durão, coordenador geral de engenharias e tecnologias espaciais do Instituto.

Ao ITA caberá a responsabilidade pelo desenvolvimento da plataforma, e à Nasa e universidades americanas os seis equipamentos de carga útil. Os custos da parte brasileira no projeto são cobertos por projeto temático na Fapesp encaminhado pelo ITA, com a participação de pesquisadores e tecnologistas do INPE.

O SPORT é um cubesat em formato 6U, com a mesma dimensão do ITASAT, mas muito mais complexo. O ITASAT foi lançado no dia 3 de dezembro de 2018, da Base Aérea de Vandenberg, na Califórnia (EUA), pelo lançador Falcon 9 da SpaceX, também fruto de uma parceria entre a AEB e o ITA.

Participam do projeto pelo ITA uma equipe de 20 pessoas, além do time do ITA, do Inpe, das Universidades Estadual de Utah, Universidade do Texas em Dallas e Universidade do Alabama em Huntsville. Há também uma carga útil da empresa Aerospace e outra da Nasa Goddard.

O lançamento do cubeSat SPORT está previsto para 2020, da Estação Espacial Internacional (ISS).

Agência Espacial Brasileira (AEB)

É uma autarquia vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), responsável por formular, coordenar e executar a Política Espacial Brasileira. Desde a sua criação, em 10 de fevereiro de 1994, a Agência trabalha para empreender os esforços do governo brasileiro na promoção da autonomia do setor espacial.

Coordenação de Comunicação – CCS

Registrado em:
Assunto(s):
Voltar para o topo