BRASIL COMPARTILHA EXPERIÊNCIAS DE MONITORAMENTO DO MEIO AMBIENTE DURANTE EVENTO INTERNACIONAL
Publicado em: Brasília, 19 de novembro de 2012

Brasília, 19 de novembro de 2012 – Geotecnologias como satélites são úteis no monitoramento de safras, de recursos hídricos, das catástrofes naturais e no cadastro de propriedades, entre variadas aplicações. Em Foz do Iguaçu (PR), nesta terça-feira (20/11), estarão reunidos representantes de instituições brasileiras para trocar experiências e estabelecer parcerias baseadas no uso de tecnologias espaciais e dados de observação da Terra.

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Agência Nacional das Águas (ANA), Serviço Florestal Brasileiro (SFB), Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e Universidade Federal de Alagoas (UFAL) estão entre as instituições que participam do GEO Brasil, evento relacionado à Reunião Plenária do Grupo Intergovernamental de Observação da Terra (GEO, na sigla em inglês), que acontece no Mabu Thermas & Resort.

O INPE apresentará o uso de imagens de satélites para monitorar safras, mapear a área disponível para a colheita e identificar o solo usado para agricultura. A experiência no uso de geotecnologias para o monitoramento agrícola também é tema da Conab, enquanto a Embrapa mostrará a capacidade de acompanhar as transformações na cobertura e no uso do solo. A ANA apresentará seu sistema nacional para acompanhamento de recursos hídricos e o SFB, as aplicações na área florestal das tecnologias para observação terrestre. Já a UFAL irá abordar o uso de dados no contexto de desastres naturais.

Durante o dia dedicado ao GEO Brasil, será também apresentado o GEOGLAM (Global Agriculture Monitoring), uma iniciativa do próprio GEO para melhorar a informação sobre a produção de grãos em todo o mundo.

GEO

Reunindo 88 países, a Comissão Europeia e 61 organismos internacionais, o GEO coordena iniciativas voltadas ao monitoramento de todo o ambiente terrestre, além de discutir a oferta livre de dados e o intercâmbio de informações que possam contribuir com o bem-estar da humanidade e a preservação do planeta.

Realizada pela primeira vez no Brasil, a Plenária do GEO servirá para avaliar a implantação, até 2015, de um sistema global para fornecimento de observações detalhadas do planeta. Com o GEOSS (Sistema de Sistemas de Observação Global da Terra) será possível reunir no mesmo local dados sobre oceanos, florestas, biodiversidade e desenvolvimento urbano, entre outros aspectos.

Aproximadamente 350 representantes de vários países e instituições participarão da Plenária, nos dias 22 e 23 de novembro. Entre os dias 19 e 21, acontecem reuniões preparatórias e eventos paralelos como o GEO Brasil, nesta terça (20).

Mais informações na página http://www.earthobservations.org/geo9.shtml

Fonte: Assessoria de Comunicação INPE