ACIDENTE COM LANÇADOR É ‘SITUAÇÃO COMUM’, DIZ PERITO
Publicado em: Brasília, 6 de dezembro de 2016

Explosão de veículo Soyuz-U na semana passada reacende discussão sobre riscos e frequência de acidentes espaciais. Novo desastre impediu que nave espacial portasse mantimentos à Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês).

Maior parte dos restos da nave se desintegrou na atmosfera, e alguns fragmentos caíram na Terra

O foguete lançador Soyuz-U que portava a nave espacial russa Progress MS-04 fez uma decolagem bem-sucedida na última quinta-feira (1º) a partir do cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão. Após seis minutos, porém, o veículo perdeu a telemetria, desintegrando-se a uma altitude de 190 quilômetros em um território desabitado.

Segundo especialistas da agência especial russa Roscosmos, o incidente pode ter ocorrido devido à colisão de uma partícula ou a um defeito na montagem do motor. As razões específicas para o acidente ainda não foram esclarecidas.

https://www.youtube.com/watch?v=K_qivxqsXXo

Os especialistas acrescentaram, no entanto, que a taxa de acidentes de lançamento do Soyuz-U é baixa segundo os padrões da indústria espacial, embora sempre haja uma probabilidade de erro em cada lançamento.

“É uma situação muito comum”, disse à Gazeta Russa o diretor do Instituto de Política Espacial, Ivan Moisséiev.

“Até hoje foram realizados 776 lançamentos de Soyuz-U e este foi o acidente número 22, ou seja, o índice de ocorrências desse tipo é de 2,8%. Em geral, a taxa considerada aceitável para uma sonda não tripulada é de 5%”, acrescentou o especialista.

De acordo com o Instituto de Política Espacial, 87 lançamentos foram realizados este ano em todo o mundo, entre os quais registrou-se 3 acidentes envolvendo lançadores: um nos Estados Unidos, um na China e agora na Rússia.

No caso dos EUA, o acidente ocorreu em 1º de setembro, quando o lançador Falcon 9, que transportaria o satélite de telecomunicações AMOS-6, explodiu na plataforma de lançamento. Já na China, apesar de nenhum comunicado oficial ter sido divulgado, sabe-se que o incidente aconteceu em 31 de agosto e envolveu o lançador RN CZ-4S que carregava a bordo um satélite de observação Gaofen-10.

gh

Infogrâfico: Vassíli Krilov

Em 2015, especialistas russos aventaram uma possível “crise sistêmica” na indústria espacial do país depois de dois acidentes envolvendo lançadores. Na época, o vice-primeiro-ministro Dmítri Rogôzin, que é também chefe do setor espacial russo, disse que o problema poderia ser resolvido por meio de uma reforma administrativa na indústria e com maior controle tecnológico das empresas envolvidas.

Foto 1 :Roscosmos

Fonte: Gazeta Russa