Esta seção apresenta informações referentes aos resultados dos trabalhos de auditorias realizadas pela Auditoria Interna da AEB, Controladoria-Geral da União – CGU e Tribunal de Contas da União – TCU, bem como, relacionadas às prestações de contas realizadas pela Agência Espacial Brasileira.

Estão disponibilizados os Relatórios de Auditoria, Relatórios de Gestão da AEB e suas peças complementares.

Sobre a Auditoria Interna da AEB

A Auditoria Interna (Audin) é uma unidade seccional da Agência Espacial Brasileira vinculada diretamente à Presidência da Autarquia.

De acordo com o Decreto Nº 8.868, de 04 de outubro de 2016, compete a Audin examinar a conformidade legal dos atos de gestão orçamentário-financeiro, patrimonial, de pessoal e demais sistemas administrativos e operacionais e verificar o fiel cumprimento de diretrizes e normas vigentes e, especificamente:

  • verificar a regularidade nos controles interno e externo, especialmente daqueles referentes à realização da receita e da despesa e da execução financeira de contratos, convênios, acordos e ajustes firmados pela AEB;

  • examinar a legislação específica e as normas correlatas e orientar quanto à sua observância; e

  • realizar inspeções regulares para verificar a execução física e financeira de programas, projetos e atividades e executar auditorias extraordinárias determinadas pelo Presidente.

A Auditoria Interna atua como uma instância de apoio à governança da Agência Espacial, com avaliações objetivas e independentes que resultam no oferecimento à alta administração de análises e recomendações acerca das atividades, processos de trabalho e resultados da Autarquia.

A Audin tem como objetivo adicionar valor e melhorar as operações da AEB, contribuindo para o aprimoramento de seus processos gerenciais e o alcance de seus objetivos. As ações de auditoria interna visam oportunizar melhorias nos processos da Autarquia, identificando riscos e emitindo recomendações para aprimoramento de controles internos, governança e gerenciamento de riscos.

A Audin atua como terceira linha ou camada de defesa das organizações, uma vez que são responsáveis por proceder à avaliação da operacionalização dos controles internos da gestão (primeira linha ou camada de defesa, executada por todos os níveis de gestão dentro da organização) e da supervisão dos controles internos (segunda linha ou camada de defesa, executada por instâncias específicas, como comitês de risco e controles internos).